domingo, 30 de agosto de 2015

Maomé e Estado Islâmico torturam e matam em busca de tesouros


José Atento
Leia o texto e assista ao vídeo, e veja como o exemplo de Maomé é capaz de inspirar atrocidades, neste caso, tortura. Sim, Maomé foi um torturador.
Jihadistas do Estado Islâmico torturam e decapitam um arqueólogo de 83 anos por se recusar a revelar a localização de objetos de valor. 
Semana passada, os valorosos soldados de Alá, do Estado Islâmico, decapitaram Khaled al-Asaad, de 83 anos de idade, um renomado estudioso e arqueólogo de Palmira,  pendurando-o em uma coluna romana nas ruínas de Palmira, na Síria (NY Times). O seu crime foi o de se recusar a revelar o paradeiro de valiosos artefatos arqueológicos que os jihadistas pretendiam vender no mercado de contrabando de modo a obter mais dinheiro para poderem aterrorisar mais pessoas. Ele foi interrogado e torturado por duas semanas. Depois disso, ele foi degolado.

Al-Asaad não era uma ameaça: ele dedicou sua vida a estudar as antiguidades em Palmira, um Patrimônio Mundial da UNESCO cheio de tesouros históricos insubstituíveis, como os 2.000 anos de antigos edifícios romanos e magníficas estátuas pré-islâmicas. Quando ISIS conquistou Palmira em maio, al-Asaad se recusou a fugir, ficando para trás para tentar proteger o local contra a pilhagem do ISIS. Aparentemente, ele enterrou alguns dos mais valiosos artefatos.

Jihadistas são muçulmanos fervorosos por imitarem Maomé no seu aspecto mais fundamental. Lembre-se que o Alcorão diz 93 vezes que Maomé é o exemplo de conduta a ser seguido por toda a humanidade. Ibn Kathir, um importantíssimo doutor do islão em termos de exegese, jurisprudência e história islâmica, chega mesmo a afirmar que Maomé é o Homem Perfeito.

O que os jihadistas do Estado Islâmico fizeram foi apenas seguir os passos e ações de Maomé. Vejamos.

Maomé, após conquistar a tribo judáica no oásis de Kaibar, torturou Kinana, o chefe da tribo, para saber onde ele tinha escondido o tesouro. Ao final da sessão, sem ter a informação que o tornaria mais rico, Maomé mandou acender uma fogueira no peito de Kinana, matando-o. Veja como este evento ocorreu segundo a biografia de Maomé, Sirat Rasul Allah, 515:
“Kinana al-Rabi, que tinha a custódia do tesouro dos Banu Nadir, foi trazido até Maomé que lhe perguntou sobre o seu paradeiro. Kinana disse que não sabia. Um judeu veio até Maomé e disse que ele tinha visto Kinana rondando uma ruína todas às manhãs bem cedo. Maomé disse a Kinana, "você sabe que se eu achar o tesouro vou matá-lo?" Kinana respondeu: "Sim". Maomé deu ordens para que a ruína fosse escavada e alguns tesouros foram encontrados. Quando Maomé lhe perguntou sobre o resto, Kinana se recusou a responder. Então Maomé deu ordens para al-Zubayr al-Awwam: “Torture-o até extrair dele o que ele tem.“ Então, ele acendeu um fogo com pedra e aço no peito de Kinana até que ele estivesse quase morto. Então Maomé entregou Kinana para Muhammad b. Maslama que cortou-lhe a cabeça, para vingar seu irmão Mahmud.”
De modo que o que os soldados sagrados de Alá fizeram foi consistente com as tradições (Sunna) de Maomé, pois Maomé também torturou uma pessoa de modo a que ela revelasse a localização de um tesouro, matando-a em seguida.




quarta-feira, 26 de agosto de 2015

A crise migratória da Europa se agrava e a invasão islâmica se amplia



A Europa já enfrentava um problema migratório seríssimo, assunto discutido anteriormente  no artigo Islamização da Europa: pode o mesmo acontecer no Brasil?. Mas agora, ela se vê diante de uma invasão. Sim, invasão, porque estamos falando de 1 milhão de "migrantes" por ano, chegando à Europa na expectativa de usufruir das benesses do serviço-social europeu, e não para contribuir com ele. Além disso, com expectativas de alterar a fábrica social da europa, impondo a Sharia. 

A crise migratória da Europa se agrava, e o que está acontecendo é uma verdadeira invasão. Veja bem. Existem os "refugiados" oriundos de conflitos, e estes são cobertos pela lei internacional. Por exemplo, refugiados da Síria, estimados hoje em 9 milhões de pessoas [1], estão em sua maioria em campos de refugiados e o processo migratório burocrático acontece a partir destes lugares, sendo processados pelas embaixadas dos países que oferecem asilo. Mas existem os "migrantes" que não se constituem em refugiados, porém exigem os mesmos direitos. Estes migrantes querem entrar na Europa de qualquer modo, mesmo sem motivo. Os migrantes são oriundos de áreas que não são consideradas como área de conflitos, por exemplo, Afeganistão, Paquistão e Kosovo. Estes vem para a Europa sem mostrar (ou comprovar) algum motivo que justifique a migração.

Um fato interessante e que diz muito é que os riquíssimos países árabes do Golfo (Qatar, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Kuweit e Bahrain) não aceitam refugiados. A contribuição destes países é zero! Isso mesmo. Zero. Nada. Nulo. Seria natural esperar que países muçulmanos oferecessem ajuda aos seus "irmãos muçulmanos" mas este não é o caso. [2] [3] E é claro que os invasores não vão para os países do Golfo pois sabem que não seriam mesmo recebidos.

A figura abaixo mostra bem o fato curioso de que os "refugiados" poderiam muito bem buscar refúgio nos ricos países do Golfo, mais próximos geograficamente, culturalmente e religiosamente. Porque eles não fazem isso?


A postura dos países do Golfo frente aos países da União Européia é gritante. Enquanto que os países do Golfo se preservam, a União Européia abandona a sua política de imigração e se rende aos contrabandistas de migrantes e refugiados. A Europa está dizendo abertamente que as suas portas estão abertas, basta pisar nas praias europeías ou entrar andando pelas fronteiras abertas.

O contrabando de refugiados e migrantes é um comércio lucrativo. Ele se beneficia da inanição da Europa e sua incapacidade de se proteger. Existem os "pequenos comerciantes contrabandistas", mas também as "grandes corporações contrabandistas", como o Estado Islâmico e até mesmo o Hamas, que cobram entre 2.5 mil a 3 mil dólares por pessoa para ajudá-la a penetrar na "Fortaleza Europa." [4] Estes grupos criminosos estão lucrando milhões de dólares com este contrabando humano [11] [12].

Existem 2 principais rotas da invasão migratória para Europa, uma pelo Mar Mediterrâneo e a outra pelo sudeste europeu, região conhecida como Balcãs. A figura abaixo mostra a segunda rota. Ela se origina na Turquia (que deixa os migrantes, todos extrangeiros, passarem), passa pela Grécia, Macedônia e Sérbia, aí se dividindo via Hungria, ou via Bósnia e Áustria, visando o seu destino final que é a Alemanha.[5]

Rota da migração com destino a Alemanha

A rota pelo Mar Mediterrâneo é mais perigosa, notadamente para os poucos cristãos que se aventuram por ela. Eles são alvo de uma onda de raptos, tortura e violações por grupo na Líbia [6], ou de abuso por parte dos outros migrantes muçulmanos, existindo vários casos de cristãos sendo mortos nos barcos durante a travessia do Mar Mediterrâneo [7]. Até chegarem ao litoral, os migrantes são levados em travessias pelo deserto do Saara. Apesar de tudo, a rota migratória pelo Mediterrâneo cresce, sendo que só no mês passado, mais migrantes desembarcaram nas costas da Grécia do que em todo o ano de 2014 [4]. Existe também a rota marítima pela Turquia. Apenas em julho, cerca de 50.000 chegaram à costa grega vindos de barco a partir da Turquia. [8]

A Alemanha já disse que irá aceitar 800 mil "migrantes" apenas este ano. Existem reações populares na Alemanha contra esta decisão. O pior é que a Chanceler (e manda-chuva) Angela Merkel está acusando os cidadãos alemães que se opõem a aceitar quase um milhão de migrantes por ano de nazistas. Ela teve esta reação após ter sido vaiada ontem durante uma visita a um destes centros. O protesto pacífico que a recebeu tinha faixas dizendo "nós somos a ralé" como resposta a um comentário ofensivo do vice-chanceler alemão Sigmar Gabriel. O fato é que o governo alemão não consultou o povo alemão para saber como eles desejam ver esta crise resolvida. [5]

Um espectador, de pé em frente à rua do centro da asilo, detém uma placa que diz 
"traidora do povo" durante a visita de Merkel

O afluxo maciço de refugiados criou uma espécie de lei marcial na Alemanha, onde tem sido necessário usar escolas, ginásios e parques de campismo como centros de acomodação temporária para os requerentes de asilo.

Talvez a Chancheler Merkel ache que a Alemanha tem condições de assimilar quase 1 milhão de muçulmanos por ano. Ou talvez ela esteja sofrendo de algum tipo de alucinação. O fato é que ela tornou-se muito popular junto aos sírios, que têm inclusive enviado "cartas de amor" para ela, agradecendo a sua política de fronteiras abertas [9].

Enquanto isso, outros países não tão prósperos quando a Alemanha, e certamente com governos mais realistas do que a Chanceler Merkel, estão decididos a defender a suas fronteiras e identidade. As autoridades de Budapeste anunciaram planos para enviar mais de 2.000 policiais extras para aumentar a segurança na fronteira, enquanto que o parlamento discute a implantação de tropas na próxima semana. Além disso, a Hungria já está construindo uma cerca de 175 km de extensão na sua fronteira com a Sérvia em uma tentativa de impedir os de migrantes entrarem. As autoridades húngaras dizem que um número recorde de migrantes - mais de 2.500 - entraram na Hungria na terça-feira. A Bulgária diz que também vai enviar soldados para sua fronteira com a Macedónia. [5] E a Macedônia teve que usar bombas de gás lacrimogênio para conter centenas de migrantes na sua fronteira com a Grécia [8]. Um dos migrantes disse o seguinte:
"Sabemos que isso não é a Macedônia e nem a polícia da Macedônia. Esta é a União Européia. Por favor, avise a Bruxelas que estamos chegando, não importa de que modo."
Os migrantes chegam através da fronteira para a Macedônia a uma taxa de cerca de 2.000 por dia.

Muro de arame barbado na fronteira da Hungria

Existem dois problemas resultantes da invasão da Europa em andamento.

O primeiro é o econômico. A maioria das pessoas que entram ilegalmente na Europa parecem não estar fugindo de conflitos armados, mas sim buscando uma vida melhor em um "paraíso do bem-estar social" onde eles se qualificariam para viver custeados por auxílios similares ao nosso Bolsa Família. [10] Mas o sistema de bem-estar social europeu, cada vez mais financiado pela dívida dos governos nas últimas décadas, está mostrando sinais de um colapso iminente. Não há fim à vista para a crise da dívida da Grécia, apesar dos pacotes de resgate repetidos da ordem de € 326 bilhões de euros. O crescimento econômico lento, desemprego juvenil e o envelhecimento da população torna o modelo social europeu cada vez mais insustentável. [4]

A corrente principal da imprensa gosta de dizer a todos que os tumultos provocados por imigrantes jovens na França ou na Grã-Bretanha são movidos pela desigualdade econômica. Imagine agora a escala da agitação quando os estados europeus não tiverem mais condições de financiar "metade do planeta" e forem forçados a cortar benefícios sociais? [4]

O outro problema é social. Os migrantes que invadem a Europa vem de países falidos, sendo que um dos principais motivos desta falência é o modelo social e político construído a partir da lei islâmica Sharia. Mas a maioria destes migrantes deseja ver a Sharia implementada, de modo que o que eles estão fazendo será apenas importar para a Europa os problemas que levam ao colapso das suas sociedades. Alguns exemplos indicam esta hipótese.

Este vídeo mostra migrantes na fronteira da Macedônia recusando comida por ela estar dentro de pacotes da Cruz Vermelha, cujo símbolo é uma cruz. Eles queriam comida halal. Ou seja, mesmo em uma situação precária, eles já estão impondo a lei islâmica: os infiéis tem a obrigação de seguir a Sharia.

video

Outro exemplo diz respeito a ataque a cristãos e ex-muçulmanos, algo também consistente com a lei islâmica Sharia. Refugiados cristãos sírios que vivem na Suécia dizem que foram forçados a sair da casa que servia como asilo devido a ameaças oriundas de refugiados muçulmanos que exigiram que eles escondem suas cruzes e proibiu-os de usarem as áreas comuns na casa que compartilhavam. [13] [19]. Deixar o islão é um crime capital.

Um outro exemplo, um migrante que quebrou e urinou sobre uma estátua da Virgem Maria, na Itália. Destruir símbolos religiosos dos outros é uma obrigação consistente com a Sharia. [14]

Um outro exemplo, um migrante tentou estuprar uma menina de 13 anos que estava de férias na ilha italiana de Lampedusa. Estuprar infiéis faz parte da sunna (tradições) do profeta. [15]

Um outro exemplo. Briga generalizada após refugiado rasgar Alcorão deixa 17 feridos na Alemanha. A ideologia da maior parte dos refugiados é baseada na lei islâmica Sharia [20].

Além disso, existem aqueles que são mesmo jihadistas. A Polícia Norueguesa encontrou vídeos mostrando tortura, mutilações e execuções nos celulares dos "refugiados" [21]. Terroristas do ISIS estão chegando na Europa escondidos entre os migrantes que atravessam o Mediterrâneo em barcos, adverte o Promotor Judicial da União Européia [22]



Ora, é de se esperar que a maioria dos muçulmanos que estão invadindo a Europa desejem Sharia, pois as evidências mostram exatamente isso: muçulmanos querem Sharia.

Além disso, existe o aspecto do supremacismo islâmico, que leva muçulmanos a acharem que eles merecem sempre um tratamento diferenciado com respeito aos káfirs (não muçulmanos). Exemplos disso são comuns, encontrados quando os refugiados reclamam das condições que lhes são oferecidas, como se fosse obrigação das organizações de apoio européias de lhes oferecer hotéis 5 estrelas. Por exemplo, foi isso o que aconteceu na ilha grega de Kos. [16]

O problema é grave. Andreas Kamm, que é Secretário-Geral do Conselho Dinamarquês para os Refugiados, disse recentemente:  "Corremos o risco de que os conflitos entre refugiados e migrantes, de um lado e as populações locais, por outro dê errado e se escale, e nos meus olhos iremos inegavelmente enfrentar um cenário digno do Armagedon." .... A resposta não é que "a Europa importe o excedente populacional. Não podemos absorver 60 milhões de refugiados", diz ele. "Nós não podemos ser obrigados a destruir a nossa própria sociedade. Devemos parar antes disso, se nos ainda pudermos." [17]

Contudo, quase ninguém, especialmente a mídia, culpa os migrantes por suas próprias ações.

O futuro da Europa parece ser cada vez mais sombrio, e os europeus têm apenas a reação das suas elites dirigentes européias para culpar. A invasão acontece com o apoio delas. É como disse o Sr. Crepeau, o relator especial da ONU sobre os direitos humanos dos migrantes: "A migração está aqui para ficar." [18]

A Europa está importando os conflitos do mundo islâmico.


"Nós não voltaremos. Abram o caminho."


Referências

[1] Syrian refugies - a snapshot of the crisis - in the Middle East and in Europe, http://syrianrefugees.eu/, última atualização em outubro de 2014, acessado em 26 de agosto de 2015.

[2] The wealthy Saudi Arabia and the other Gulf states receive zero Syrian refugees, Speiza, acessado em 26 de agosto de 2015.

[3] Facts & Figures: Syria refugee crisis & international resettlement, Anistia Internacional, 5 de dezembro de 2014, acessado em 26 de agosto de 2015.

[4] Mass Immigration and the Undoing of Europe, Vijeta Uniyal, Gatestone Institute, 25 de agosto de 2015.


[6] Tortura e violações na Líbia antes da chegada ao inferno do Mediterrâneo, Público, 16 de agosto de 2015.

[7] Imigração: muçulmanos atiram cristãos fora do barco, TVi24, 16 de abril de 2015.

[8] Refugees tear through police lines at Macedonian border, REUTERS, 22 de agosto de 2015.

[9] Why are Syrians sending love letters to Angela Merkel?, BBC, 26 de agosto de 2015.

[10] African Migrant Surge Imperils European Union Social Infrastructure: British Foreign Secretary Philip Hammond, ND Tv, 10 de agosto.

[11] Smugglers average €1 million per migrant boat, EU Observer, 29 de maio de 2015.

[12] Crime groups making millions of euros on boat migrants - prosecutor, REUTERS, 19 de abril de 2015.

[13] Christian Asylum Seekers Hounded Out of Immigrante housing by Muslim residentes, Breibart, 21 de julho de 2015.

[14] Italy: Muslims Destroy and Urinate on Virgin Mary Statue, Europe News, 18 de janeiro de 2015.

[15] Lampedusa: Tunisian 'asylum seeker' tries to rape 13-year-old Italian girl, Islam versus Europe, 28 de agosto de 2013.

[16] Chaos on Kos: 300 asylum seekers arrive a DAY... with migrants blaming 'incompetent' Greek officials for island situation, Daily Mail, 28 de maio de 2015

[17] Danish Refugee Council's Secretary General: - We face an Armageddon scenario, Speiza, , acessado em 26 de agosto de 2015.

[18] Europe 'must open official channels for migrants', BBC, 25 de agosto de 2015.

[19] Muslim Harassment of Christian Asylum Seekers and Converts to Christianity, PipelineNews.org, 3 de agosto de 2015.

[20] Briga generalizada após refugiado rasgar Alcorão deixa 17 feridos na Alemanha, O Globo, 20 de agosto de 2015.

[21] Sweden: Muslims admit deliberate hate crimes against Swedes, and government is proposed to reward them with – jobs!, The Muslim Issue, 27 de janeiro de 2013.

[22] ISIS terrorists are arriving in Europe hidden among migrants crossing the Mediterranean on boats, warns EU’s top prosecutor, Daily Mail, 6 de julho de 2015.


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Jahiliyya: ignorância pré-islâmica, e o ódio islâmico às artes, religiões e culturas dos outros - Exemplos



O que leva muçulmanos a destruírem símbolos culturais e religiosos dos outros? Resposta: o exemplo de Maomé. 
O que é Jahiliyya? É um conceito islâmico dos "dias da ignorância" referentes às condições em que os árabes se encontravam na Arábia pré-islâmica, ou seja, antes da "revelação" do Alcorão a Maomé. O termo jahiliyyah tem suas raízes no verbo jahala, que significa "ser ignorante ou estúpido, agir estupidamente".

O significado de Jahiliyyah tem sido estendido para indicar todos os períodos da história da humanidade em que as pessoas associam parceiros com Alá, seja por adorar ídolos, atribuindo-lhes algumas funções divinas, por endeusar algumas pessoas, ou mediante a atribuição de criatividade para natureza e materiais causas. Neste caso, ele se assemelha a shirk que significa "atribuir parceiros a Alá."

O teórico sênior da Irmandade Muçulmana, Sayyed Qutb (1906-1966), explorou este significado mais amplo em seu trabalho. De acordo com Qutb, qualquer sociedade não-muçulmana, ou uma sociedade secular muçulmana, qualifica-se como jahiliyya porque Alá não é soberano, sendo que as leis humanas substituem as leis da Alá (Sharia).

Nas palavras de Qutb "O abismo entre o Islão e a Jahiliyyah [o mundo não-islâmico] é grande, e uma ponte não é a ser construída entre eles para que as pessoas dos dois lados possam se misturar umas com as outras, mas apenas para que as pessoas do lado da  Jahiliyyah possam vir para o Islão."

Alguns séculos antes de Qutb, Muhammad Wahhab (1703-1792) defendeu um retorno ao islamismo como praticado por Maomé e seus companheiros, iniciando um movimento conhecido hoje como wahabismo. E o que Maomé fazia?

O site Islam Question and Answer traz os motivos que tornam uma obrigação para os muçulmanos destruírem o que é dos outros. Isso vem de ordens da Maomé nos hadices:
"Não deixe qualquer imagem sem que seja desfigurada ou qualquer sepultura construída sem a nivelar." (Muslim, 969)
"Com o que você fui enviado?" Ele disse: "Eu fui enviado para manter os laços de parentesco, para quebrar os ídolos, e para que Alá seja adorado sozinho, sem parceiro ou associado." (Muslim, 832)
E isso não devemos esquecer o que Maomé fez ao entrar vitorioso em Meca e forçar os seus residentes à rendição: Maomé destruiu todas as estátuas e pedras que representavam outras religiões da Arábia, ou seja, mostrou claramente toda a sua intolerância.

O que leva muçulmanos a destruírem símbolos culturais e religiosos dos outros? O exemplo de Maomé. Fazer isso é seguir a sunna (tradição) do profeta.

Abaixo, vamos listar alguns exemplos.

Século XV: Templo Hindú do Sol Martand (na Caxemira) destruído pelo Sultanato de Delhi
O Templo Hindu do Sol Martand, na Caxemira, contruído no século VIII, foi considerado como lugar de culto infiel e destruído pelos exércitos do sultanato muçulmano de Delhi. (Richard Eaton (2000), Temple Desecration and Indo-Muslim States, Journal of Islamic Studies, 11(3), pp 283-319)



1920: Arábia Saudita destrói o cemitério al-Baqi

As autoridades sauditas destruiram este mausoléu, parte do cemitério al-Baqi, em Medina, no início de 1926, logo após assumirem o poder da cidade no ano anterior. Na verdade, eles aplainaram o sítio inteiro, que remontava ao século VII, sendo considerado por alguns como contendo os restos de alguns dos primeiros profeta compatriotas de Maomé.

Segundo Dr. James Noyes, autor de The Politics of iconoclatia, este ato "chocou a comunidade muçulmana internacional."

Os sauditas não fizeram isso apenas por um capricho. Eles eram, e ainda são, em linha com a facção religiosa chamada os wahabitas - um grupo de fundamentalistas sunitas que, como algumas denominações cristãs, rejeitam qualquer forma de adoração através santuários religiosos e ícones. Porém, eles vão ao extremo de destruí-las.

"Os ataques a santuários e túmulos são uma rejeição ao 'shirk' (adoração a Alá através de santuários)", explicou Noyes.

Teologicamente, os wahabitas e outros islamistas traçam isso de volta para a história do bezerro de ouro que aparece no Corão e da Bíblia, em que os israelitas construiram e oraram a um ídolo, o que provocou a fúria de Alá. Um número de muçulmanos vêm este conto como uma proibição geral contra a adoração de imagens e santuários.

Como os wahabitas sauditas consolidaram o controle sobre o que é agora a Arábia Saudita, eles destruíram tudo, até mesmo aquilo que insinuasse a adoração de ídolos. "A Península Arábica costumava ter comunidades judaicas, tribos pagãs pré-islâmicas, santuários favorecidos por peregrinos xiitas e sufistas no Hajj à Meca e Medina, influências otomanas e egípcias, e o reino hachemita." Segundo Noyes "tudo isso se foi." (fonte)



2001: o Taleban explode Bamiyan Buddhas do Afeganistão

O modo como os wahabitas vêm a adoração de ícones influencia grupos militantes sunitas em todo o mundo muçulmano de hoje. Em 2001, o Talibã explodiu duas estátuas de Buda, de 1.700 anos de idade, esculpidas em um penhasco no vale de Bamiyan no centro do Afeganistão, provocando um enorme clamor internacional. Elas eram as estátuas mais altas de Buda do mundo, com cerca de 50 metros de altura. A UNESCO tem planos para reconstruir as figuras imponentes, mas o trabalho tem sido atolado em disputas. (fonte)



2006: bombas da Al-Qaeda destroem a mesquita milenar de al-Askari do Iraque

A motivação deste tipo de destruição nem sempre é puramente teológica: às vezes ele pode servir objectivos políticos mais mundanos. Em 2006, no auge da guerra civil iraquiana, a al-Qaeda no Iraque bombardeou a mesquita al-Askari, um dos mais sagrados santuários xiitas do mundo, construído na cidade de Samarra, no ano 944. A cúpula dourada icónica da mesquita foi reduzida a escombros em uma tentativa do grupo militante sunita para inflamar ainda mais a guerra sectária do Iraque. A Al-Qaeda no Iraque, é claro, viria a evoluir no que é hoje o ISIS, e o bombardeio a mesquita al-Askari, em muitos aspectos, pressagiou o tumulto que iria seguir o ISIS. (fonte)



2008: al-Shabaab destrói túmulos sufistas e santuários na Somália

O vídeo mostra o grupo somali al-Shabaab destruindo túmulos e santuários dos sufistas, em Kismayo, a terceira maior cidade da Somália, em 2008. Anteriormente, o grupo havia destruído uma igreja antiga, independente do fato de que um único cristão vivia na cidade no momento (todos expulsos).



2012: al-Qaeda e Ansar Dine fazem um estrago em Timbuctu

Governos estabelecidos nas linhas islâmicos como a da Arábia Saudita e do Afeganistão sob o Talibã durante o final da década de 1990, são relativamente raros. Mas o surgimento de grupos islâmicos gerando conflitos caóticos tornou-se comum. E quando esses grupos invadem cidades e vilas com tesouros históricos, os resultados muitas vezes são desastrosos.

Em 2012, os islamistas da Al-Qaeda e Ansar Dine invadiram a antiga cidade de Timbuctu, um Patrimônio Mundial da ONU, no Mali. A imagem abaixo mostra a porta da frente da mesquita Sidi Yahya de Timbuctu. Diz a lenda que a porta deveria permanecer fechada até o fim do mundo, mas o jihadistas a ; os islâmicos romperam. Pelo menos metade dos santuários da cidade foram destruídos antes de uma força internacional empurrar os jihadistas para fora. (fonte, fontefonte)



2013 Islamização da cultura no Egito

Durante o ano em que esteve no poder, a Irmandade Muçulmana destruiu cerca de 130 igrejas, conventos, mosteiros, orfanatos, asilos e escolas cristãs. Muitos destes prédios eram seculares. Mas não foi apenas esta a Jihad feita pela Irmandade Muçulmana. Eles também investiram contra a arte teatral e a música.

Funcionários da Casa da Ópera do Egito fizeram greve em protesto  contra o governo da Irmandade Muçulmana, e outros aliados islâmicos do presidente Mohammed Morsi. Eles acusavam o governo de planejarem a destruição da cultura e das artes no Egito. (maio/2013, National Post) A retomada do poder pelos militares salvou a Casa da Ópera do Egito (dentre outras coisas).

Alguns islamitas egípcios pediram a abolição do balé no Egito - exibições que são geralmente realizadas no Cairo Opera House - descrevendo-o como "imoral" e "nu artístico"


2013: Hamas danifica sítio histórico em Gaza

Em uma carta urgente enviada ao diretor-geral da UNESCO, Irina Bokova, da UN Watch, exigiu uma ação imediata para parar a demolição pelo Hamas de um porto 3000 anos em Gaza para uso como um campo de treinamento terrorista, como relatado pelo  Al Monitor Palestine Pulse. Uma cópia também foi enviada ao ministro das Relações Exteriores da União Européia, Catherine Ashton chamando a UE a tomar medidas. (fonte)


2014: ISIS explode a antiga igreja assíria de Tikrit

Há duas razões pelas quais o ataque de ISIS contra a história é muito mais devastador do que o que veio antes dele. Primeiro, o ISIS controla uma enorme quantidade de território (um pouco maior do que o Reino Unido), por isso tem uma área enorme na qual pode travar a sua campanha de vandalismo cultural. Em segundo lugar, o território que ele controla é repleta de santuários religiosos históricos, sagrados a todos os povos, como a Igreja assíria Verde em Tikrit, originalmente construída no ano de 700. Em setembro, surgiram relatos de que ISIS tinha explodido a igreja.

Segundo Dr. James Noyes, autor de The Politics of iconoclatia, "o grande volume de sítios importantes, que sobrepõem o antigo e o bíblico é exclusivo da Síria e do Iraque. Assim, também, é o grande volume de sobreposição de expressões religiosas de fé para os sunitas absolutistas, que torna esta área o principal alvo, com muitas coisas para alvejar." (fonte)

"A Síria e o Iraque são o centro disso tudo."



2014: Bombas ISIS o túmulo do profeta bíblico

A "purificação" do território controlado pelo Estado Islâmico  é um meio de afirmar o seu controle sobre a população local e enviar uma mensagem de que este território será, a partir de agora, governado ao longo de linhas islâmicas. Noyes escreve: "Como o ISIS luta para definir as fronteiras do seu chamad califado,  a iconoclastia representa um meio de conectar os princípios de unidade teológica e política."

Isso explica porque você se vê tantos vídeos como este, que mostra o ISIS detonando o túmulo do profeta bíblico Jonas (ou Yunus), em Mosul, Iraque. O vídeo, junto com este outro vídeo que mostra jiahdistas do ISIS desfigurando o túmulo antes da sua demolição, serve como um meio de afirmar seu controle sobre o território que foi apreendido. (fonte)


Outro vídeo aqui: https://youtu.be/ehUvMLBTTTg

2014: Estado Islâmico desfigura a Igreja do Memorial do Genocídio Armênio, na Síria

A imagem abaixo mostra a Igreja do Memorial do Genocídio Armênio, em Deir ez-Zor, na Síria. No blog Hyperallergic, Sam Hardy fez um trabalho muito bom ao indicar o dano à igreja, cuja desfiguraçãoque se acredita ser o resultado da ação de jihadistas do ISIS. Talvez a igreja seja restaurada após a guerra, mas muito do detalhe original foi perdido. E a mensagem já foi dada. Leia mais sobre o Genocídio dos Armênios aqui e aqui. (fonte)



2015: Estado Islâmico destrói milhares de livros raros em bibliotecas iraquianas

Militantes do Estado Islâmico destruíram milhares de manuscritos, documentos e livros raros após invadirem a Biblioteca Pública de Mosul, no norte do Iraque, de acordo com relatos do diretor da instituição, informou o jornal britânico "The Independent". A estimativa é que pelo menos 10.000 livros e mais de 700 manuscritos raros tenham sido destruídos. (fonte)




2015: ISIS destrói esta estátua do antigo rei de Hatra

ISIS não apenas destrói edifícios religiosos. De acordo com Christopher Jones, um estudante de PhD da história do Oriente Médio na Universidade de Columbia, EUA, a estátua seendo destruída na imagem abaixo, parte do acervo do Museu de Mossul, representa um antigo rei de Hatra. Hatra foi uma cidade-estado da época romana, e não uma parte importante da teologia islâmica.

Noyes acredita que isso também faz parte do projeto de construção do Califando Islâmico do ISIS. Ele explica como o grupo está usando a palavra "shirk", a adoração a Alá através de santuários, para se referir a uma gama muito mais ampla de conceitos que considera herético. "Tornou-se uma espécie de frase pega-tudo usada para descrever a forma como o Estado Islâmico define-se: combater o shirk de Bashar (al-Assad, o presidente sírio), o shirk de passaportes, o shirk dos poetas e dos museus nacionais, o shirk das mesquitas xiitas", etc. (fonte). (dailymail)

Mais sobre isso: UNESCO acusa Estado Islâmico de “razia cultural” e “crime de guerra”



2015: ISIS destrói a própria cidade de Hatra

ISIS não apenas destruir arte em Hatra. Segundo a ONU, o ISIS tem tentado destruir o que resta da própria Hatra. A cidade, Património Mundial da ONU, pode ter sido demolida completamente.

"A destruição de Hatra marca um ponto de viragem na estratégia terrível de limpeza cultural em curso no Iraque", disse o diretor da UNESCO, Irina Bokova, em comunicado conjunto com Abdulaziz Othman Altwaijri, diretor de uma organização dedicada à preservação do patrimônio cultural islâmico. "Este é um ataque direto contra a história das cidades árabes islâmicas, e confirma do papel da destruição do patrimônio na propaganda de grupos extremistas." (fonte)



2015: ISIS bulldozes a cidade assíria de Nimrud

ISIS também saqueou e nivelou Nimrud, uma antiga cidade assíria no norte do Iraque. A cidade compartilha um nome com a figura bíblica Nimrod, então poderia haver alguma motivação teológica aqui. Mas é importante notar que o Estado Islâmico também lucra com o contrabando de antiguidades (do mesmo modo que o Talibã com ópio): O Estado Islâmico destrói publicamente alguns artefatos, e depois tomar o que pode e os vende para alimentar os seus esforços militares e de construção do Califado Islâmico (Reuters).

Segundo Mark Vlasic, um professor adjunto na Universidade de Georgetown Law Center: "Eles foram muito consistentes em fazer duas coisas: eles destroem as antiguidade como um show e propaganda, e eles usam a cortina de fumaça da destruição para cobrir-los enquanto eles movem itens mais transportáveis ​​para o lucro", (US News): "É, afinal, uma organização criminosa." (fonte). Sim, islão parece ser, em última essência, crime organizado em escala global.

Mais sobre isso: Estado Islâmico destrói antiga capital assíria no Iraque



2015: A tragédia acontecendo na cidade histórica de Palmira

Leia sobre isso no artigo Palmira: a Jihad islâmica contra a História da Humanidade



2015: Homem-bomba ataca templo do Egito Antigo em Luxor

Os devotos jihadistas islâmicos no Egito começaram a atacar a indústria turística visando amedrontar os turistas e também tentando destruir a História, sob a desculpa de destruir "ídolos." (CBC)

2016: Estado Islâmico destrói mosteiro de São Elias, de 1420 anos

Datado do ano de 595 dC, no século VI, o mosteiro de São Elias é mais um dos símbolos cristãos destruídos pelo grupo terrorista Daesh no Iraque. Ele tinha 1420 anos, e era localizado a sul de Mossul, a capital da província iraquiana de Ninawa, na região Assíria. O Estado Islâmico quer destruir toda presença e herança cristã no Iraque. (Toronto Sun)


2016: Estado Islâmico destrói "Portal de Deus" em Nineve

A estrutura tinha mais de 2 mil anos, também conhecida como Portal de Mashqi (UPI

2016: Estado Islâmico destrói sitios arqueológicos

A jihad contra a história continua. Reporta-se que o Estado Islâmico destruiu o Zigurate de Nimrod, um templo elevado construído 3 mil anos atrás. (smithsonianmagpt.wikipedia)

2017
Egito: Grão-Mufti condena a exposição pública de estátuas
Uma notícia de 2006, porém importante e representativa da ideologia islâmica. Ali Goma, a autoridade islâmica mais importante to Egito, editou uma fatwa (decreto religioso) condenando a exposição pública de estátuas. Ele se referiu às tradições de Maomé, através de um hadice que declara que "escultores serão muito atormentados no Dia do Julgamento." Críticos acusaram a fatwa incentiva os muçulmanos militantes a atacarem as milhares de estátuas do Egito, fundamentais para a indústria de turismo. (National Geographic)

2017 
Iraque: Estado Islâmico destrói mesquita de 850 anos de idade
A mesquita se localizava na cidade de Mosul, e foi onde o Califa Abu Bakr Al-Baghdadi declarou o califado. Tropas iraquianas estão reconquistando Mosul, com ajuda dos EUA. (Reuters)



Tornando arte universal em arte islâmica




sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Maomé no 'Inferno de Dante' (A Divina Comédia)


A obra-prima A Divina Comédia, de Dante Alighieri, descreve o inferno colocando Maomé dentro dele como uma pessoa que causou discórdia e separou as pessoas. Por conta disso, Maomé tem o seu peito cortado (separado) sistemáticamente. A obra foi escrita no século XIV. Agora, no século XXI, a obra é taxada de racista e islamófoba, e publicar alguma menção sobre Maomé no inferno de Dante é algo próximo a um crime. Sinal dos tempos. 
Se existir algo parecido com o inferno, é razoável pensar que Maomé deve estar lá mesmo. Não apenas por ter dividido as pessoas e o mundo, gerando discórdia e cizânia, mas principalmente pelos crimes cometidos durante a sua vida (Maomé foi um Senhor da Guerra e terrorista, ladrão, assassino, mandante de assassinatos, pervertido sexual, pedófilo, mercador de escravos e pirata), alegando serem todos eles ações sancionadas divinamente, bem como pelos crimes que seus seguidores mais ardorosos cometem em seu nome, nos últmos 1.400 anos.  
Dante tinha razão. 

"A Divina Comédia" foi escrita pelo italiano Dante Alighieri (1265-1321) no século XIV, é considerada como uma obra-prima da literatura italiana e universal. Ela descreve a epopéia de Dante até o paraíso, passando pelo inferno e pelo purgatório, conduzido pelo espírito do poeta romano Virgílio. O inferno é dividido em círculos e abismos, nos quais os condenados se agrupam em função dos pecados cometidos. A descrição do inferno segue um padrão greco-romano.

No nono Abismo do oitavo Círculo do Inferno estão as pessoas que semearam discórdia. São aqueles considerados como hereges, que com a sua ação dividiram as pessoas. Eles estão andando em círculo, com seus corpos horrivelmente mutilados. No momento em que eles completam uma volta ao redor do círculo, suas feridas se costuram, apenas para serem abertas novamente e novamente.

Entre aqueles sendo punidos neste local está Maomé.

Inferno XXVIII, 19-42.

Os poetas estão no nono abismo do oitavo círculo,
o dos Semeadores de Discórdia,
cuja punição é serem mutilados.
Maomé mostra suas entranhas para Dante e Virgílio
enquanto do lado esquerdo está o seu sobrinho Ali,
sua cabeça aberta desde o queixo até topete.

Dois aspectos singularizam este canto: o primeiro deles é a pujança visual da descrição naturalista que Dante faz dos corpos mutilados daqueles que cumprem pena neste local do inferno. O outro aspecto é o linguajar algumas vezes rude empregado em alguns versos, por exemplo:

"Rasgado desde o queixo até onde se peida. Por entre as pernas pendiam os intestinos; apareciam as vísceras e o triste saco, que merda faz daquilo que se engole."

Mas qual o motivo que levou Dante a apresentar Maomé como um semeador de discórdia? Maomé sempre dividiu as pessoas, primeiro entre aqueles que o aceitavam como profeta e o seguiam, e entre os demais. Se para os primeiros ele prometia como recompensa riquezas nesta vida e prazeres carnais na próxima vida, para os segundos ele amaldiçoava e prometia retaliação nesta vida e sofrimento eterno na próxima.
Maomé é o Apóstolo de Alá. Aqueles que o seguem são cruéis com os descrentes mas misericordiosos uns para com os outros (Alcorão 48:29)
Maomé  dividiu o mundo entre a Casa da Submissão (Dar-al-Islam) e a Casa da Guerra (Dar-al-Harb). Na primeira, o islão reina supremo, enquanto que na segunda, os muçulmanos empreendem a jihad, por todos os modos, para derrotar os kufar (não-muçulmanos) e implantar o islão.

E Maomé introduziu uma divindade, Alá, que apenas ama aqueles que o seguem. Alá odeia quem o rejeita ou simplesmente ignora.

Sim, Maomé dividiu as pessoas e o mundo.

Quanto a Ali, assim como seu sogro Maomé, também criou uma cisão. Enquanto Maomé dividiu o mundo, Ali fez o mesmo, só que no âmbito do próprio Islamismo, pois sua reivindicação do califado não foi aceita por muitos, do que resultou a cisão entre sunitas e xiitas.


É claro que a descrição de Dante é alegórica e ficcional, apesar de ser precisa. Mas no mundo covarde e politicamente correto que vivemos, isso é irrelevante. Veja o que aconteceu na Europa.

Em 2006, Cesare Cavalleri, diretor da revista Studi Cattolici, publicou uma parte do Canto 26 de "A Divina Comédia", na qual Dante descreve Maomé no inferno. Os muçulmanos criaram uma polêmica de tal ordem que integrantes do Opus Dei obrigaram o diretor do semanário a pedir pedir desculpa aos muçulmanos (Estadão).

Em 2012, o Telegraph da Inglaterra trouxe uma notícia com o título Divina Comédia de Dante é ofensiva e deve ser banida. Na notícia, uma consultora das Nações Unidas pedia que a Divina Comédia fosse banida a nível mundial por retratar Maomé no inferno. Acontece que a Divina Comédia também apresenta uns judeus e uns gays no inferno por serem, respectivamente, avarentos e contra a natureza. Não apenas isso, mas o inferno de Dante tem até um papa! Judeus, homossexuais e católicos não se sentem ofendidos com uma obra literária, notadamente uma da magnitude da obra de Dante.


Nos dias de hoje, Dante Aleghieri seria chamado de islamófobo, processado, ameaçado de morte, ou talvez até mesmo assassinado.


Vários artistas famosos criaram suas ilustrações próprias desta cena sobre Maome no Inferno de Dante. Em cada uma delas, Maomé é aquele com o torso aberto por um corte. Veja estas ilustrações abaixo.

Maomé no Inferno, por William Blake (1820)


Maomé no Inferno, por Gustav Dore (1857)

Geradores de Discórdia, por Botticelli (1481)

Maomé no Inferno, cena de filme mudo italiano de 1911

Maomé no Inferno, afresco da Basílica de San Petronio 

Maomé no Inferno, por Auguste Rodin


Maomé no Inferno, por Salvador Dali


Se você desejar ler mais sobre este a Divina Comédia, eu achei este link sobre a A Divina Comédia, de Dante Alighieri, bastante interessante. 


Um vídeo feito pelo canal Portões de Viena




segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Livro: O que todo cristão precisa saber sobre o islamismo e sobre a sua própria fé


E-Livros (e-books) "O QUE TODO CRISTÃO PRECISA SABER SOBRE O ISLAMISMO E SOBRE A SUA PRÓPRIA FÉ"

Eu prefiro me ater ao islamismo, e o que ele representa de nefasto, do ponto de vista político e não religioso. Religião seria aquilo que uma pessoa faz para se aproximar de Deus. A política começa quando, para se aproximar de Deus, esta pessoa tem que IMPOR padrões de conduta sobre os outros. 

Contudo, eu reconheço que como uma das armas dos muçulmanos é vender uma imagem higienizada e parcial do islamismo de modo a atrair mais adeptos, existe também uma parte do campo de batalha que entra mais pelo lado religioso, e que existe muita gente boa lutando dentro deste aspecto. 

De modo que eu estou compartilhado o link para três livros que tratam do islamismo pelo lado religioso, mostrando a fraude que ele é. 

O livro é em três volumes, e os links são: 

http://www.clubedeautores.com.br/book/182170--RESPOSTA_AO_ISLA__Volume_1#.Vb4sMJfUfwo

http://www.clubedeautores.com.br/book/182176--RESPOSTA_AO_ISLA__Volume_2#.Vb4sL5fUfwo

http://www.clubedeautores.com.br/book/182177--RESPOSTA_AO_ISLA__Vol_3#.Vb4sLJfUfwo

Abaixo, um trecho sobre os livros, retirados da mensagem que me foi enviada sobre eles: 
"M. Madsaiin Dias faz a necessária comparação entre as evidências manuscritas da Bíblia e do Alcorão. De maneira a ficar evidenciado para o leitor qual dos livros (contrastantes entre si) deve ser reconhecido como revelação de Deus à humanidade. O autor leva em conta o conteúdo dos livros (crítica interna) e a documentação histórica disponibilizada pelas duas religiões (crítica externa).
Marcos Antonio (Madsaiin) Dias é escritor e editor, desde 2011, do blog MISSÃO IMPACTAR. Converteu-se ao Evangelho nos anos 70 e, na mesma década, formou-se pelo Seminário Bíblico Mineiro no Curso Básico de Teologia. Nos últimos anos, tem se dedicado ao evangelismo e ao estudo de culturas não cristãs, como a islâmica.
Os Vols. 02 e 03, tratando, respectivamente, da comparação Jesus X Maomé e sobre a defesa bíblica da Doutrina de Deus, estão também disponibilizados. Os três volumes foram escritos entre 2013 e 2015. Uma outra obra, CRISTANDADE, MODA FEMININA & O XIS DA QUESTÃO, de 2013, está também disponibilizada. E os livros de datas anteriores e publicados apenas nas redes, mais futuramente o serão, além de obras em preparo, como ISLÃ: 50 PERGUNTAS (Cujas Respostas Precisam Soar Mais Alto Que O Silêncio Islâmico & do Que As Contradições Corânicas).
FORMA DE AQUISIÇÃO (R$ 7,55 cada volume): Clube de Autores (Pesquise no Google) e outras lojas virtuais, observando que a CAPA (imagem) da edição e-book é DIFERENTE. Nota: Na COMPRA PELO SITE CLUBE DE AUTORES; FAZER A BUSCA PELO NOME DO LIVRO (e não pelo nome do autor.)
IMPORTANTE 01: A compra é com uma forma de contribuição a esse ministério. E caso queira ajudar, aceitamos contribuição: C/C: 28500-8 Agência 087 CEF (104) – Marcos Antonio Dias.
IMPORTANTE 02: Palestras (Culto de Missões, etc.) e Curso (Aula semanal, duração mínima 03 meses): (31) 9948-6217."




sábado, 1 de agosto de 2015

Atualizações em julho de 2015

Veja o que entrou de novo no blog em julho de 2015

O Estado Islâmico é islâmico!
Neste artigo, você vai compreender que tudo o que o Estado Islâmico faz é islâmico, embasado no Alcorão e nas tradições de Maomé.

Peça Teatral de Voltaire: "O Fanatismo" de "Maomé, o Profeta"
Quem diria. Voltaire era um islamófobo!

O Alcorão: suas origens nebulosas e suas diversas versões
Você sabia que o Alcorão foi escrito quase 100 anos após a morte de Maomé, e que existem várias versões?

Glossário de Têrmos Islâmicos
Este glossário de têrmos ajuda um pouco a compreender o islão, de modo a que possamos criar mecanismos de defesa contra o seu veneno.

Maomé assassino e intolerante: execuções e destruição de "ídolos" após a ocupação de Meca
Aprenda um pouco mais sobre a vida do auto-proclamado "mensageiro de Alá", e o porquê dele ter dito ao final da sua vida que ele foi vitorioso com o terror.

Porque os muçulmanos comem tanto durante o Ramadã? 
Não era de se esperar que ao fazer jejum durante o dia todo, o consumo de comida seria menor? Leia este artigo externo.

Qual a origem do Ramadã?
Você irá se surpreender ao saber que o Ramadã tem origem nos povos pagãos o Oriente Médio. Leia neste artigo externo.

Estado Islâmico espalha o caos a caminho da desejada “guerra apocalíptica global”
Artigo externo.

A conexão da "esquerda revolucionária" com o "islamismo militante" não é de hoje
Se você tiver conta no Facebook, acesse o vídeo através do link abaixo:
https://www.facebook.com/tercalivre/videos/1579468675653599/?__mref=message_bubble

Os cartoons de Maomé
O vídeo tem legendas em português. Se elas não aparecerem automaticamente, selecione clicando em "detalhes" no lado inferior direito do vídeo: https://youtu.be/OrMJiKurAaA



Grã-Bretanha: estupro e exploração de menores
Menina britânica foi estuprada e explorada por sete fundamentalistas islâmicos paquistaneses em Rotherham desde os doze anos por cinco anos. Os criminosos ameaçavam ferir sua família se ela os denunciasse.
Cabe lembrar que, no caso do escândalo de 1.400 meninas estupradas por gangues destes fundamentalistas na mesma Rotherham, as vítimas denunciavam os casos ao serviço social e aos policiais mas nada era feito e isto durou cerca de uma década. (fonte)

Escravidão sexual
Vídeo sobre as mulheres que são escravizadas pelo Califado Islâmico, de modo semelhante aquilo que Maomé e seus seguidores fizeram: https://www.youtube.com/watch?v=lfDlYLQrjC0

Irã: mulheres que não se cobrem tem doenças do intestino e estômago
Clérigo iraniano adverte que  as mulheres vão sofrer de 'doenças dos intestinos e estômago' se eles não se cobrirem da cabeça aos pés. (fonte)

Muçulmana morta por outras muçulmanas por olhar roupas em uma loja
Isso aconteceu em Mosul. Um grupo de mulheres levantou o niqab para enxergar melhor. Outras mulheres, parte de um destacamento tipo "polícia da virtude" as atacaram,  e uma das vítimas acabou morrendo. Ela tinha 17 anos. (The Clarion Project)

Holanda: Imã diz que mulher "descoberta" fere os sentimentos do homem
Ele disse que as mulheres não devem vestir o que desejam, mas sim se cobrirem para não ofenderem os homens. No mesmo sermão ele ataca os homossexuais. (MEMRI)

França: muçulmanas agridem mulher de biquini tomando sol em um parque 
Elas estavam tentando impor a Sharia com as suas próprias mãos. O fato gerou furou junto às mulheres francesas, mas o prefeito disse que não se deve tirar conclusões sobre os motivos do ataque (Fonte). O prefeito é um típico político europeu, vendido.


Como o islão cria monstros e psicopatas
Do mesmo jeito, há 1400 anos. Leia o artigo neste link

Adolescentes do Estado Islâmico matam 25 homens no anfiteatro romano de Palmira
Um vídeo mostra a execução de 25 prisioneiros do Exército sírio às mãos de adolescentes do grupo, no anfiteatro romano de Palmira. É a primeira vez desde Maio que o grupo jihadista mostra imagens da cidade antiga, patrimônio mundial da UNESCO. (fonte)

Mulher-bomba se explode dentro de igreja matando 5 pessoas na Nigéria
O que levou esta mulher a se explodir para matar os outros? Que tipo de ideologia malígna é capaz de levar uma pessoa a cometer ato tão medonho? Não é pobreza, pois senão teríamos muitos homens e mulheres bombas no Brasil. Não é o ateísmo, não é o homossexualismo, não é o budismo, não é o calvinismo, etc. ... Isso acontece apenas com pessoas que ficam sob a influência do islão, que matam achando que com isso serão recompensados por toda a eternidade. (O Globo)
Ideologia doentia, que cria psicopatas onde quer que se instale.

Amira Abase é uma menina britânica em idade escolar que se juntou ao Estado Islâmico
Ela era uma menina normal, que o islão transformou em psicopata. Em mensagem a um jornalista ele faz chacota das vítimas do último masacre na Tunísia, quando dezenas de turistas e funcionários de um balneário foram mortos por um jihadista. (Independent)
É comum ver atitudes como estas nos sites e páginas dos islamistas no Brasil.

EUA: um "ativista verde" do meio-ambiente torna-se psicopata
Alexander Ciccolo era um estado-unidense "ativista da paz" e do meio-ambiente. Ele se converteu ao islão e se afastou da paz. Ele adotou o nome de Ali Al Amriki e resolveu se tornar um jihadista, planejando explodir panelas de pressão cheias de prego nas cafeterias de escolas. Ele foi preso antes deste ato de louvor a Alá. (fonte)

Roma: Brasileiro gritando Allahu Akbar põe mulher de joelhos com uma faca no pescoço
A psicose islâmica afeta qualquer um, nem brasileiro escapa (fonte). Só para lembrar que o brasileiro jihadista de Roma não é o primeiro brasileiro psicopata a tentar louvar Alá no exterior. Teve um outro que ameaçou degolar membros de uma sinagoga em Miami. (fonte)

"Leãozinhos do Califado": Crianças treinadas para serem jihadistas (psicopatas assassinos)
Que meigo. Os leãozinhos do califado. Treinados em matar e memorizar o Alcorao (fonte)

Bélgica prende dois ex-presidiários jihadistas de Guantânamo
Eles tinham sido soltos sob a promessa de nunca mais fazerem jihad. Os dois foram presos por estarem recrutando jovens para irem lutar na jihad na Síria. (Guardian) Uma vez jihadista, sempre jihadista.

Estado Islâmico usa crianças como armas da morte
Eu tomei conhecimento deste artigo na postagem do Facebook abaixo. E me chamou a atenção o primeiro comentário, de uma muçulmana de Angloa, que diz ser louvável quando crianças começam a vida na "djihad (sic) por causa de allah."


Será que a Europa (ou o brasil) irá conceder "axilo político" para estas crianças mais tarde?



Gana: Imã diz que sharia prescreve execução dos homossexuais
Ele disse que o islao sancionou que pessoas que se entregam a pessoas do mesmo sexo devem ser mortos, explicando "como uma pessoa deve ser lançada  um edifício de pelo menos dez andares, e enquanto ele está caindo ele também deve ser apedrejado." (ganaweb) É exatamente isso o que o Estado Islâmico do ISIS faz quando executa homssexuais.

Iraquiano gay relata como escapou de ser atirado de prédio pelo Estado Islâmico
"Na nossa sociedade (iraquiana), ser gay é igual a uma sentença de morte. Quando o 'EI' mata gays, muitos ficam felizes porque pensam que somos doentes. (UOL)


Halal - Boicote Halal 

Leia este artigo "Boicote Produtos Halal" para saber o que é "comida halal" e o porquê de boicotá-la. E visite os demais links.

Um dos problemas da "indústria halal" é que apenas muçulmanos podem trabalhar nela porque os infiéis são impuros e tiram a pureza dos alimentos. Isso resulta no controle da indústria alimentícia, bem como cria-se uma reserva de mercado de empregos que apenas muçulmanos podem ocupar.
A figura mostra um exemplo, da Austrália, onde busca-se açougueiros muçulmanos.


História (Arte e Jahiliyya)

Vídeo: Maomé e as Origens do Islão
Vídeo do Canal "Real Crusades History" (Verdadeira História das Cruzadas), que trata as origens do islão. Sem o islão, não haveria cruzadas. (https://www.youtube.com/watch?v=xwRVTTFqlsU)


Jihad contra a França (721-759)
Fica aqui a pergunta. Se o islão é mesmo a "religião da paz" o que uma horde de jihadistas assassinos e psicopatas foi fazer na França, a 7500 km de distância da Arábia? Leia este artigo clicando aqui.


Senado aprova nova Lei de Migração que facilita a entrada de estrangeiros no país
O texto diz: "a lei prevê concessão de visto temporário em hipóteses como realização de pesquisa, tratamento de saúde, acolhida humanitária, estudo, trabalho, PRÁTICA DE ATIVIDADE RELIGIOSAS OU SERVIÇO VOLUNTÁRIO. No caso de pesquisa, ensino ou extensão acadêmica, pelo projeto, o imigrante poderá conseguir um visto MESMO QUE NÃO POSSUA VÍNCULO EMPREGATÍCIO com a instituição de pesquisa ou de ensino brasileira - o que a atual legislação impede." Essa é uma política de fronteiras abertas e porososas. Vai ficar ainda mais fácil os islamistas penetrarem no Brasil.(fonte)

Números de Imigração e refugiados em crescimento
O Brasil entrou no clube dos recebedores de refugiados em quantidade. É de se esperar que os mesmos problemas que se existem nos países que já fazem recebem refugiados faz tempo (como Inglaterra, França, Suécia, ...) aconteçam aqui também. Até onde eu saiba o nosso governo não possui nenhum plano para aprender com as lições dos outros. (UOL)

Todo país de “infiéis” pode ser alvo do Estado Islâmico, incluindo o Brasil, afirma diplomata libanesa
O mundo todo no alvo do Estado Islâmico, inclusive o Brasil. E com o crescimento da imigração e casamentos de brasileiras com muçulmanos cresce o número de pessoas com potencial para ser radicalizado, pois apenas muçulmanos vão se juntar à jihad. (fonte)

Governo do Kuwait financia instituto islâmico em Goiânia
O Brasil está se tornando uma colônia dos países islâmicos! Este é apenas uma filial. O instituto passa por processo de expansão pelo País, com polos em sete Es­ta­dos: Pernambuco (Recife), São Paulo (São Paulo), Pará (Belém), Goiás (Goiânia), Mato Grosso (Cuiabá), Mato Grosso do Sul (Campo Grande), Bahia (Salvador) e Rio Grande do Sul (Passo Fundo).
O projeto tem como intuito formar multiplicadores do islã em pontos estratégicos do território nacional. (Note que esta notícia é do ano passado) (fonte)

MPF/SP move ação para garantir benefício a três refugiados palestinos idosos
Existe um linha fina entre assistência e assistencialismo. A Europa Ocidental já cruzou esta linha faz tempo. Será que alguém no governo brasileiro está estudando o que acontece na Europa para evitar que o mesmo ocorra no Brasil? (fonte)

O face Anti-Sionismo Brasil divulga imagem para aumentar o sentimento sionismofóbico
Agora você acha que os muçulmanos apóiam o terrorismo? Por que ao invés de colocar a bandeira de Israel, eles não colocam a do Hamas, Boko Haram, Talibã, Estado Islâmico e tantos grupos terroristas (islâmicos)?  Bem, eu fiz uma montagem com a imagem original (à esquerda) sobrepondo a bandeira da Arábia Saudita de um lado e do Estado Islâmico do outro (à direita). E alterei a página com um nome fictício: "Anti-Jihad Brasil." Qual das duas imagens te ofende? (Se você disser que é a imagem da esquerda, já sabes que vão te chamar de islamófobo ... o que nas circunstâncias atuais é um elogio). PS: Islamófobo significa "cidadão consciente."


Partido Islâmico do Brasil?
Para um partido islâmico ter sucesso em eleições no Brasil basta que exista um grande número de muçulmanos devotos, vivendo ao redor das mesquitas. Para isso é necessário que se construam mais mesquitas, com ajuda do exterior, e que se amplie a propaganda islâmica, também com ajuda do exterior. E, claro, um aumento na imigração de muçulmanos também.
De modo que apenas nos resta lutar contra o poder dos petro-dólares com aquilo que podemos: a nossa vontade e perseverança. Trabalho de formiguinha, um falando com o outro, é o mínimo que podemos fazer.

Jihad afeta 9 entre os 10 países mais violentos do mundo
Você ainda vai se defrontar com algum muçulmano que vai dizer que o Brasil é violento e que o islão e a sharia são a solução. Neste caso, mostre este mapa para ele. O mapa mostra o Índice Global da Paz, com dados de 2008 a 2015, que posiciona os países em termos de mais seguros e menos seguros. Os 10 piores países são afetados pela jihad islâmica: Síria, Iraque, Afeganistão, Sudão do Sul, República Centro Africana, Somália, Sudão, República do Congo, Paquistão e Coréia do Norte (este é a exceção) . E o nosso Brasil é tão pacífico (ou violento) que os Estados Unidos (fontefonte). De modo que, não, muito obrigado, não queremos, e nem precisamos, do islão e da sharia no Brasil. (Vídeo: https://youtu.be/watAHldDB9g)




O Empire State Building, o segundo prédio mais alto de Nova York, se coloriu de verde no último dia do Ramadã, em homenagem à religião que matou 5 americanos em na cidade de Chattanooga no dia anterior. Os prédios mais altos de Nova York foram destruídos, bem, você sabe. 

Lei britânica não se aplica aos muçulmanos, diz Tribunal Islâmico
Juíza do tribunal islâmico na Grã-Bretanha, Amra Bone, diz que a lei inglesa não se aplica aos muçulmanos, que podem ter mais que uma esposa. O que se temia está acontecendo: existe de fato dois sistemas jurídicos na Grã-Bretanha. Cerca de 25% dos casamentos segundo a Sharia na Grã-Bretanha são polígamos (20 mil). A juíza usa o conceito de liberdade ao seu favor, dizendo que não é o direito de ninguém negar o direito de um homem muçulmano em ter mais de uma esposa. O que ela não sabe é que liberdade não implica em autorização para se quebrar a lei britânica. O aumento nos casamentos polígamos ocorre com casais de menos de 30 anos, pois "os jovens estão se tornando mais religiosos." Em 2012, uma investigação descobriu que o imã de Peterborough queria casar um menina de 12 anos. (Daily Mail)

Cameron (UK): os ataques jihadistas de hoje “não representam o islã. O islã é uma religião de paz.”
Pois é, o Primeiro-Ministro inglês continua tentando manter os investimentos árabes na Grã-Bretanha ou ele é mesmo um inocente? Será que ele não sabe que o que os jihadistas fazem é consistente com a lei islâmica e as ações de Maomé?

Extremistas do EI chegam à Europa em barcos de imigrantes
Leia mais sobre esse assunto no O Globo.

A Invasão da Europa
Hungria apreende número récorde de "imigrantes ilegais" apenas neste último final de semana: 4200 pessoas, Dez pessoas foram presas acusadas de tráfico humano. A travessia é feita a partir da Turquia através da Sérbia (Hungria Today). A Hungria começou a construir um muro na fronteira com a Sérbia. Os húngaros estiveram sob as botas do islão por 150 anos, devido a ocupação da Turquia (Império Otomano). Eles sabem bem o que isso significa.

Hungria: único país da União Européia a não aceitar refugiados
Hungria tornou-se o único estado membro da UE de se recusar a receber quaisquer refugiados ou requerentes de asilo em uma reunião de Ministros do Interior da UE em Bruxelas. A Hungria tornou-se rota dos refugiados. Números provenientes de guardas de fronteira da União Europeia mostram que mais pessoas chegam à UE através dos Balcãs Ocidentais do que através do Mediterrâneo, com a maioria deles vindo da Síria, Afeganistão e Paquistão. (Hungria Today)

França: 70% da população carcerária é de muçulmanos
Mas o muçulmanos são 8% da população francesa! E enquanto isso, eles aproveitam o tempo para fazer pregação islâmica nas prisões, enquanto aguardam a oportunidade para a sua vingança quando sairem. (fonte)

China manda comércio de muçulmanos a vender cigarros e bebida
Se não fizerem isso são processados. Isso é uma forma de quebrar o radicalismo islâmico. (fonte)

O Ocidente está vulnerável
Desculpe se você achar esta foto ofensiva, mas ela mostra bem a situação entre o islão e os países Ocidentais, que estão mesmo de olhos vendados e nús, ou seja, totalmente expostos à islamização.


China manda comércio de muçulmanos vender bebida e cigarros 
Se não fizerem isso são processados. Isso é uma forma de quebrar o radicalismo islâmico (fonte).

E porquê a China faz isso? Dentre outras coisa por causa disso: Estado Islâmico chama Uighurs para se juntarem à jihad (fonte)

Pastor de Belfast processado por "ofensa extrema" ao islão
A lei islâmica (Sharia) sendo aplicada no Reino Unido. O pastor descreveu o Islã como sendo "pagão" e "satânico". A ação contra McConnell é mais um do crescente número de exemplos que as autoridades britânicas, que rotineiramente ignoram os discursos incendiários proferidos por muçulmanos radicais, fazem uso, cada vez mais, das leis de discurso de incitamento ao ódio para silenciar os cristãos. (fonte).


Adolescentes do Estado Islâmico matam 25 homens no anfiteatro romano de Palmira
Um vídeo mostra a execução de 25 prisioneiros do Exército sírio às mãos de adolescentes do grupo, no anfiteatro romano de Palmira. É a primeira vez desde Maio que o grupo jihadista mostra imagens da cidade antiga, patrimônio mundial da UNESCO. (fonte)

Cinco mães queimadas por impedirem filhos de se juntar ao ISIS
"Foram queimadas cinco mães e seus filhos depois que as mulheres não permitiram que seus filhos tornassem crianças-soldados nas fileiras do grupo jihadista. Acredita-se que as vítimas são todos ser da tribo sunita Albu Nimr, conhecida por sua resistência de longa data na luta contra a Al Qaeda e E.I, na província iraquiana de Anbar. (fonte)

Egito: Estado Islâmico assume autoria de explosão que atingiu consulado italiano no Cairo
Isto acontece uma semana depois de um atentado contra um quartel do exército egípcio no Sinai (O Globo)

Boko Haram: Novas chacinas, na Nigéria e também no Chade
O amor a Alá move mesmo montanhas (sarcaso) (O Globo)

EUA: Um muçulmano "como outro qualquer" mata 4 
Um atentado no centro de recrutamento de Chattanooga, Tennessi, no qual um indivíduo chamado Muhammad Youssef Abdulazeez abriu fogo de um carro matando quatro fuzileiros e ferindo três. O carro foi perseguido até o indivíduo ser morto.  Há um tempo atrás, o Estado Islâmico publicou uma lista de alvos e nome de pessoas a serem atacados pelo mujahadin residentes nos EUA. (fonte)

Resultado da "Bombatona" do Ramadã em 2015
O site "The Religion of Peace" faz uma estatística em durante cada Ramadã, contando o número de "atos de louvor a Alá." O site chama esta contagem de "Bombatona", que é seria a "maratona da bomba." Este ano, o Bombaton do Ramadã foi um "sucesso." Cerca de 3.000 pessoas foram baleadas, decapitadas, explodidass, afogadas, queimadas ou agredidas até a morte em nome do Islã, enquanto que as demais religiões, que não são chamadas de "religião de paz" não conseguiram inspirar uma única fatalidade. Veja então no quadro abaixo o placar do Bombaton do Ramadã 2015.

Porque, se você acha que todas as religiões são iguais, você não está prestando atenção.


A Turquia começa a atacar os curdos na Síria
(fonte) A desculpa é o desejo de criar uma área livre ao longo da sua fronteira com a Síria. Só que quando os jihadistas do Estado Islâmico tinham isto sobre controle, a Turquia não fez nada. Ela faz agora porque ela é contra os curdos (e simpática ao Estado Islâmico). Existem dois problemas nisso:

(1) O único gupo que vem lutando com sucesso contra o Estado Islâmico são os curdos do YPK, aliados a outros grupos minoritários, como os assírios. Foi esta ação que impediu que o genocídio não fosse maior ... e a Turquia não fez nada para ajudar.
(2) Ao atacar os únicos que estão enfrentando o Estado Islâmico, a Turquia vai estar ajudando o Estado Islâmico. O certo seria a Turquia lutar contra o Estado Islâmico junto com o YPK.

E o que é pior, a Turquia está intervindo sob a bandeira da NATO, alegando que as suas fronteiras está sendo ameaçada. E os EUA do Hussein Obama está dando apoio a Turquia.

E agora, eu ví no grupo Por Uma Europa sem Islão, um aviso da comunidade cristã síria-assíria, dizendo que eles não vão aceitar terem suas terras ocupadas pela Turquia:

"Pedimos à NATO para não ceder a qualquer tipo de exigência por parte da Turquia para atacar os curdos na Síria. Qualquer ataque à nossa Administração Autónoma e Democrática será considerada um ataque aos nossos povos [curdos, árabes e outros] e juntar-nos-emos para defendermos de qualquer ataque por parte da Turquia. Já sofremos o suficiente sob a administração turca e desta vez não será tão fácil aniquilar-nos."




O Massacre de Sivas 
Um artigo no Middle East Forum, escrito por Burak Bekdil, trata to Massacre de Sivas e das suas repercussões até hoje. Este massacre ocorreu na Turquia, na cidade de Sivas, em julho de 1993. Um grupo de intelectuais turcos (escritores, artistas, poetas e músicos), a maioria alevitas (xiítas), se reuniram em no Hotel Madimak para dentro das celebrações do poeta Pir Sultan Abdal, também alevita.

No dia 2 de julho de 1993, milhares de muçulmanos devotos deixaram as orações de sexta-feira e foram direto para o Hotel Madimak. Aos gritos de Allahu Akbar eles atearam fogo no hotel, com a polícia apenas observando. O prefeito da cidade, um islamista, se negou a enviar o corpo de bombeiros. No final da história, 35 pessoas estavam mortas, além dos intelectuais alevitas, dois funcionários do hotel.

O artigo narra que do total de 190 pessoas presas, apenas 33 foram condenadas. Porém, os advogados que defenderam os agressores foram "premiados" com a nomeação a cargos no judiciário do atual governo turco, e a imprensa islamista tranformou os presos em vítimas, existindo pressão sobre o governo para terminar com a "escravidão dos muçulmanos" pedindo que o governo os liberte. Um dos jornais diz que "Madimak é o nome da opressão contra os muçulmanos."

Eu estou compartilhando este fato com o intuito de mostrar como os islamistas são capazes de alterar a narrativa, transformando criminosos em vítimas, e as vítimas em opressores. Vocês devem se acostumar com isso, porque este é o modo de operação dos islamistas.


1.5 milhões de muçulmanos britânicos apoiam o Estado Islâmico

EUA: O que deseja a comunidade da Somália nos EUA? Sharia! 
Cinegrafista Ami Horowitz foi até o bairro de Ceder-Riverside, em Mineápolis, nos EUA, onde se encontra um grande contingente de muçulmanos da Somália. Dezenas de muçulmanos sairam deste bairro para se juntarem ao grupo jihadista Al-Shabab, na Somália. Ele entrevistou muçulmanos na rua perguntando se eles desejam Sharia e se eles gostam de viver nos EUA. As respostas supreendem. Eles desejam Sharia e, apesar de reconhecerem a liberdade para serem muçulmanos nos EUA, muitos dizem que prefeririam viver na Somália, onde a Sharia se faz presente. Eles querem a Sharia nos EUA para ser um "lugar perfeito." (Desculpe, mas o vídeo não tem legendas)
Vídeo: https://youtu.be/PfmywzjdtRM

Canadá: Imã pede por califado mundial
Imã Mazin Abdul Adhim, um clérico sênior do Hizb ut-Tahrir – Canadá, diz que a nação islâmica (a umah) deve se unir e criar um estado islâmico de verdade, onde a lei islâmica sharia seja implementada literalmente (Ele disse isso no Eid al-Fitr, o final do Ramadã, em 17 de julho de 2015). Ele afirmou que os muçulmanos devem ter fidelidade apenas para o islão através do califado. A destacar: (1) o aspecto político do islão; (2) a fidelidade não ao seu país, mas ao islão; (3) a implantação da lei islâmica (sharia) de modo literal. (fonte)




Egito: Três cristãos presos por distribuirem material sobre Jesus são presos acusados de "desprezo ao islão"
Muçulmanos os acussaram por distribuir sacos com tâmaras contendo panfletos com os ensinamentos de Jesus (Raymond Ibrahim).



O governo dos EUA, sob a presidência de "Buraq" Hussein Obama, assinou um acordo com o Irã
A comparação clara é o acordo feito pelo então primeiro-ministro inglês Chamberlain com Hilter, anunciado como um acordo para garantir a paz, que deu a Hitler tudo o que ele queria. No ano seguinte o mundo estava em guerra.
Padrão-duplo contra Israel
Israel reboca navios contendo "material humanitário" e é criticado. Mas a Indonésia destrói barcos pesqueiros dos outros países e fica ninguém reclama? (O Globo)

França: Menino judeu de 13 anos foi atacado por uma multidão insandecida de devotos islâmicos
Ele estava usando a kipa. (fonte)

"Com certeza, você vai encontrar as pessoas com a animosidade mais intensa contra os crentes [muçulmanos] como sendo os judeus ..." - Alcorão 5:82

Na prática, este verso funciona da maneira oposta: os muçulmanos são as pessoas com a animosidade mais intensa contra os judeus.

Por que eles negam o Holocausto?
É sempre bom ler o que ex-muçulmanos têm a dizer sobre o islão e a sua "lógica"
http://www.exmuculmanos.com/?p=184


Punições Islâmicas (sob a lei islâmica)

Mulheres degoladas, acusadas de feitiçaria
Estado Islâmico louva Alá com a degola de duas mulheres acusadas de feitiçaria (na verdade, elas estavam buscando comida). Os seus maridos também foram degolados.
Várias das escravas sexuais foram apedrejadas sob a acusação de adultério (a doença mental dos jihadistas é medonha. Estupram e abusam das mulheres para depois as acusarem de adultério).
Outros cinco homens também foram crucificados em praça pública, sendo que as crianças foram incentivadas a caçoarem deles enquanto eles sofriam. (Reuters)



Mentir faz parte da Dawa (pregação islâmica)
No islão os meios justificam os fins. Vale tudo, mesmo mentir. Quem explica isso é um muçulmano devoto. Vídeo: https://youtu.be/Toi9q02H4PQ